Muito mais que um conceito, Big Data é uma realidade cada vez mais comum que vai transformar o mercado imobiliário no Brasil

A utilização do Big Data é cada vez mais comum, pois é possível gerar mais valor de dados e ter mais precisão de resultados. Mas você sabe como é utilizado o Big Data no mercado imobiliário?

Você já deve ter ouvido falar no termo Big Data. A expressão se refere a uma grande quantidade de dados complexos armazenados que se baseia nos 5 V’s: velocidade, volume, variedade, veracidade e valor.

Atualmente, as principais empresas imobiliárias do Brasil utilizam a inteligência do Big Data para compreender o potencial de determinados imóveis de acordo com o comportamento de seus clientes e potenciais consumidores. Outras empresas, de setores como o financeiro ou a indústria de alimentos, também utilizam sistemas de Big Data no dia a dia.

Um sistema de Big Data gera soluções para automatizar a coleta, a análise e o processamento de dados gerados dentro e fora de uma imobiliária, além de cruzar estes dados com aqueles provenientes de outras fontes. Esta inovação ajuda a gerar dicas e sugestões que podem ajudar a aumentar a taxa de conversão de vendas de uma empresa.

Quais são os benefícios?

A utilização do Big Data no mercado imobiliário pode trazer uma série de benefícios para as empresas.

Um dos exemplos mais claros é que, com as informações coletadas, passa a ser possível entender a relação entre um determinado cliente com uma região ou bairro específicos. Desta maneira, as empresas do setor conseguem compreender quais são os anúncios que mais podem gerar negócios naquele determinado mercado.

Com o Big Data, a quantidade de dados gerados e observados é muito grande. Por isso, é importante saber como trabalhar com este conteúdo.

Um dos benefícios do Big Data no mercado imobiliário é a democratização da informação. Por meio do acesso a diferentes bancos de dados, é possível obter mais transparência nas negociações e com as informações que são oferecidas aos clientes que estão interessados em adquirir um imóvel.

Hoje em dia, existem ferramentas que utilizam o Big Data para fazer comparação de preços de imóveis, além de gerar conteúdo e traçar as tendências de valores em determinados bairros – é possível delimitar uma pesquisa que traga resultados de acordo com determinado CEP, por exemplo.

Também é possível ter acesso fácil e rápido a cotações de seguros imobiliários – este tipo de tecnologia pode ser um aliado do setor imobiliário ao fazer uma ponte entre os corretores e os potenciais segurados. Esta ferramenta agrega os dados coletados dos usuários e compartilha com as empresas cadastradas, de acordo com as preferências determinadas pelos potenciais clientes.

Outro benefício que a inteligência do Big Data está trazendo ao mercado imobiliário em 2018 é a análise de planejamento comunitário. Ou seja, clientes que buscam um imóvel que se encaixe não apenas em seus valores individuais, mas também em seus valores comunitários.

Há um exemplo da aplicação desta tecnologia inovadora em Nova York, nos Estados Unidos. Pesquisadores da Universidade de Nova York estão aparelhando espaços com sensores que monitoram diversos fatores, como a qualidade do ar, trânsito, utilização de energia e também da água.

As informações apuradas servem de base para que os corretores destes imóveis possam prospectar clientes que buscam aquele determinado estilo de vida. Estes critérios viram argumentos de venda fundamentais, como sustentabilidade e qualidade de vida, por exemplo.

Entenda melhor sobre o Big Data no mercado imobiliário e as próximas transformações!

Além de oferecer opções extremamente customizadas de acordo com as suas necessidades, o cliente terá a oportunidade de escolher seu imóvel com muito mais rapidez, tudo graças ao cruzamento de inúmeras informações que são relevantes para ele. Inclusive, saiba como encontrar seu imóvel comercial perfeito.

O Big Data traz uma série de vantagens para os clientes, mas também é surpreendentemente positivo para o dia a dia de empresas do mercado imobiliário. Com a coleta de informações e cruzamento de dados, as empresas passam a compreender cada vez melhor o potencial de determinados imóveis.

A utilização do Big Data permite que as empresas analisem o comportamento do consumidor a partir das informações adquiridas em diferentes bancos de dados. Com estas informações, as empresas podem cruzar dados e saber como oferecer opções mais precisas aos seus clientes.

O Big Data na prática

Embora grandes empresas já utilizem o Big Data como padrão, esta não é uma realidade distante de companhias de pequeno ou médio porte que atuam no setor imobiliário. Há uma série de tecnologias gratuitas que pequenos empreendedores deste mercado podem utilizar para analisar informações e coletar dados que potencializem seus negócios.

Por meio de um sistema de CRM (Customer Relationship Management, ou Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente), é possível ter todos os dados dos clientes, dos imóveis e também o histórico de atendimentos. Consolidar todas estas informações em uma só plataforma traz mais facilidade para a coleta de dados que poderão trazer maior retorno de vendas.

Outra importante ferramenta que utiliza Big Data e que pode ser muito boa para o mercado imobiliário é o Google Analytics. Além de ser gratuito, com ela é possível monitorar os acessos do seu site, conhecer a origem destes acessos, quais são as páginas mais visitadas, entre diversos outros dados. Com estas informações, é possível se organizar para tomar decisões de negócios estratégicas.

O crescimento da inteligência de mercado tem sido cada vez maior a cada ano. O Big Data irá ajudar o mercado imobiliário no Brasil para ter um desenvolvimento ainda mais inteligente.

Qual a sua opinião sobre a o Big Data no mercado imobiliário? Deixe nos comentários!

WebEscritórios

Ver todas as postagens

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anuncie seus imóveis
Click e saiba mais
Anuncie em nossos portais

Saiba mais sobre como podemos te ajudar

FALE CONOSCO