A taxa de imóveis vagos deve cair, um sinal de que o mercado imobiliário está deixando para trás os efeitos da crise econômica

Finalmente, a crise econômica que amedrontava o país desde 2014 está indo embora. A boa notícia impacta em todos os setores, inclusive no imobiliário, com dados de vacância diminuindo no mercado.

Esses dados servem como uma medida da proporção de imóveis vagos em determinada região. Durante a crise, houve uma elevada taxa de vacância, pois a incerteza do período fez com que empresas e indivíduos deixassem de comprar ou alugar imóveis.

Agora, com o mercado se restabelecendo, a tendência é que as taxas de vacância diminuam. Ou sejam, cada vez mais os imóveis que antes estavam vagos serão destinados a alguma atividade.

O setor comercial é o primeiro a notar essa mudança. Donos de empresas e empreendedores estão voltando a pesquisar e a fechar bons negócios para se estabelecerem e movimentarem a economia brasileira, principalmente em São Paulo, uma referência no país.

Em 2016, a cidade ficou em segundo lugar no ranking em relação aos dados de vacância de imóveis comerciais. 18% dos escritórios e 25% dos espaços industriais estavam vazios na capital, segundo a empresa de pesquisa imobiliária Buildings.

Na época, prédios comerciais famosos apresentavam vacância elevada, como era o caso do novo Pátio Victor Victor Malzoni, que ocupa um quarteirão todo na avenida Faria Lima, o complexo do shopping JK Iguatemi e o edifício Tower Bridge, ao lado da Ponte Estaiada.

Entenda melhor sobre os dados de vacância e as transformações no mercado imobiliário!

A virada com os Dados de Vacância

Felizmente, com a melhora na atividade econômica, as taxas de vacância vão cair, com a consequente elevação dos preços dos imóveis comerciais em São Paulo. Saiba quais são as principais regiões de São Paulo para o mercado imobiliário comercial.

Os juros em queda e o início da diminuição nas taxas de desemprego reanimam o setor imobiliário. A realização de reformas feitas pelo governo e o comprometimento com sua continuidade aumentam a confiança das construtoras e do consumidor.

Segundo o IBGE, a inflação oficial do Brasil fechou 2017 em 2,95%, abaixo do piso fixado pelo governo, e a expectativa é que a conquista se repita nesse ano. A notícia reflete no poder de compra dos brasileiros e torna o investimento em imóveis mais atraente. Inclusive, saiba mais em relação aos imóveis comerciais e sobre o investimento em 2018.

Outro ponto importante é a eleição que ocorrerá em outubro de 2018. A troca de políticos faz com que o mercado, de forma geral, renove suas apostas econômicas e espere ainda mais novidades a partir do próximo ano para reduzir os dados de vacância

Além disso, as empresas ligadas ao setor imobiliário estão lançando estratégias para fechar negócios e gerar receita. A melhoria de processos internos, a otimização da produtividade e uma boa rede de parcerias são atitudes essenciais para virar o jogo ainda nesse ano.

Boas opções de imóveis em São Paulo

Os imóveis que começaram a ser erguidos em 2010 sofreram com a crise, já que um empreendimento leva, em média, quatro ou cinco anos para ficarem prontos. Hoje, esses espaços continuam em sua maioria disponíveis: nunca foram usados e estão como novos.

Torre Sul –  São Paulo Corporate Towers

Localizado na região do Itaim, até o final de 2017 o empreendimento não havia ocupado nenhum de seus 30 andares. A torre tem, ainda, área de varejo e ático, além de uma torre de amenities que pode ser usada pelas empresas ocupantes.

Entre os diferenciais do prédio, está a opção de implementar uma cozinha full service com exaustor próprio, e também a possibilidade de acesso interno aos andares de uma mesma empresa. E ainda, o empreendimento cumpre com critérios de sustentabilidade.

O bairro nobre na zona Oeste de São Paulo está situado próximo a importantes vias de acesso e conta com infraestrutura completa de serviços e conveniências ideais para a instalação de empresas.

Saiba mais sobre os dados de vacância no mercado imobiliário!

Paulista Corporate

Na região da avenida Paulista, a mais valorizada de São Paulo, esse edifício de 168 salas comerciais de 31 a 560m² é ocupado em sua maioria por pequenas e médias empresas ao longo de seus 17 andares.

O empreendimento foi lançado há seis anos e conta com especificações técnicas elevadas e uma boa imagem corporativa.

Sua localização é privilegiada, pois a avenida é o coração empresarial e financeiro da cidade. Na região, há uma ótima infraestrutura de transportes, serviços, comércios e bancos, além de proximidade com potenciais clientes e parceiros.

Edifício Corujas

Com 28 salas comerciais de 95 m² a 725 m², o edifício Corujas fica localizado na Vila Madalena, e traz uma proposta de um ritmo menos acelerado e mais qualidade de vida para os imóveis comerciais. Descubra quais regiões estão em alta para imóveis comerciais

O empreendimento é um prédio horizontal, tem jardim privativo, vãos e varandas pouco convencionais.  Há também áreas de convívio, bicicletário, vestiários e lanchonete, tudo para a criação de uma comunidade no ambiente de trabalho.

O prédio harmoniza com o bairro onde está situado, uma região boêmia e cultural. A Vila Madalena tem uma boa cobertura de transporte público e infraestrutura de comércio e serviços.

Qual a sua opinião sobre os Dados de Vacância e as transformações no cenário atual? Deixe seu comentário!

WebEscritórios

Ver todas as postagens

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anuncie seus imóveis
Click e saiba mais
Anuncie em nossos portais

Saiba mais sobre como podemos te ajudar

FALE CONOSCO